Crianças da associação beneficente da Allianz Seguros fazem apresentação de dança no teatro Nair Belo, em São Paulo

 

A Associação Beneficente dos Funcionários do Grupo Allianz (ABA) promoveu Mostra de Dança aberta ao público no CEU da zona Leste de São Paulo

Durante a manhã e a tarde da última sexta-feira, 10, 180 crianças, de 7 a 11 anos, participaram da Mostra de Dança da Associação Beneficente dos Funcionários do Grupo Allianz (ABA), que aconteceu no teatro Nair Belo, do CEU Quinta do Sol. Na ocasião, as crianças dançarinas apresentaram dez coreografias à plateia formada pelos pais e convidados da comunidade Santa Rita, localizada na zona Leste de São Paulo.

Com o tema “Sentidos”, a Mostra concretizou o que as crianças aprenderam durante o primeiro semestre de 2018. “Um dos objetivos do espetáculo foi levar poesia ao público por meio da dança. A criação artística, com uso dos cinco sentidos, estabeleceu uma relação simples e profunda entre as crianças e os espectadores”, contou Rose Oliveira, diretora da ABA.

O trabalho com as crianças começou em fevereiro com o estudo da obra “Os versos de Pedro”, do autor de poemas e histórias infantojuvenis, Bartolomeu Campos de Queiróz, mineiro nascido no interior do estado, em 1944, e que faleceu em 2012, na capital Belo Horizonte. “As interpretações das mensagens do livro e os comentários das crianças durante as aulas serviram de inspiração para a criação das coreografias”, comentou Rose. “Antes de entrar na ABA, eu não tinha contato com artes, nem sabia bem o que era. Hoje, aprendo com obras de escritores famosos e ainda danço balé”, disse Isabelle Alves Farias, de 10 anos, que frequenta a Associação desde os quatro.

O contato com a poesia e a dança desenvolvem outras características nas crianças. Os educadores e os pais percebem que elas ficam mais comunicativas, assertivas, solidárias e gratas. “Meu filho, o Pedro, adora balé e é muito bom ver a sua dedicação com a dança. Com as aulas, ele passou a ter mais concentração e senso de organização. Ele ainda fica bastante nervoso nas apresentações, mas são elas que o prepara para os desafios e mostra que ele pode enfrentar as situações. O Pedro também era muito tímido. Agora, é uma criança que se relaciona com mais facilidade”, conta Paula Moralez, mãe de Pedro Ferreira Gonçalvez, de sete anos.

Shares Share

Se você gostou desse projeto, compartilhe.